Pintura de uma paisagem

A historia magistra vitae e o pós-modernismo

Juliana Bastos Marques

Resumo


Pretendo neste artigo fazer uma proposta de crítica às abordagens mais recentes da Teoria da História, mormente de Reinhard Koselleck e Jörn Rüsen, mas também dos pós-modernos, que identificam uma ruptura radical entre modelos de historiografia da Antiguidade clássica e da modernidade. Partindo das reflexões preliminares de Arnaldo Momigliano sobre a questão, proponho identificar tanto as abordagens dos autores citados quanto as dos pós-modernistas como parte de um Zeitgeist que desconsiderou algumas premissas antigas da relação entre história, utilidade, verdade e exemplo, oferecendo uma ressignificação de tais relações nos tempos atuais.


Palavras-chave


Historia magistra vitae; Pós-modernismo; Historiografia antiga

Texto completo:

63-78


DOI: http://dx.doi.org/10.15848/hh.v0i12.618

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia