Raça, corporeidade e subjetividade em Beatriz Nascimento e Eduardo de Oliveira e Oliveira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v16i41.1992

Palavras-chave:

Epistemologia, História, Ciências Sociais

Resumo

O artigo analisa as proposições epistemológicas sobre raça, corporeidade e subjetividade nos trabalhos teóricos da historiadora Beatriz Nascimento e do sociólogo Eduardo de Oliveira e Oliveira em seus campos disciplinares, entre os anos 1970 e 1990. O trabalho objetiva, dessa forma, a abertura de caminhos empíricos na genealogia do pensamento social e da história da historiografia à dimensão racial na produção do conhecimento em História e Ciências Sociais no Brasil. Em face da historicidade do debate acerca de marcadores sociais de identidade e lugares de fala, o texto considera que os dois autores estabeleceram os fundamentos de um projeto teórico para o estudo da experiência negra brasileira perpassado por problematizações acerca das injunções políticas entre a produção dos discursos sociológico e historiográfico e a identidade racial da figura social do pesquisador. Conclui-se que este projeto instaurou a emancipação epistemológica como princípio político para a elaboração de concepções alternativas de objetividade científica a partir de atravessamentos étnico-raciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBERTI, Verena; PEREIRA, A. Araújo (org.). Histórias do Movimento Negro no Brasil: depoimentos ao CPDOC. Rio de Janeiro: Pallas/CPDOC-FGV, 2007.

ALMEIDA, Mariléa de. Racismo acadêmico e seus afetos. História: Questões & Debates, Curitiba, v. 69, n. 2, p. 96-109, jul./dez. 2021. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/historia/article/view/80267/44215. Acesso em: 25 ago. 2021.

ASSUNÇÃO, Marcello F. M. As injustiças de Clio revisitado: Clóvis Moura e a crítica da branquitude no campo historiográfico. História da Historiografia, Ouro Preto, v. 15, n. 38, p. 231-252, 2022. Disponível em: https://www.historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/1841/985. Acesso em: 26 maio 2022.

ASSUNÇÃO, Marcello; TRAPP, Rafael P. É possível indisciplinar o cânone da história da historiografia brasileira? Pensamento afrodiaspórico e (re)escrita da história em Beatriz Nascimento e Clóvis Moura. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 41, n. 88, p. 229-252, 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbh/a/twzH93CnWDDZSCCzHtKyqxx/. Acesso em: 20 abr. 2022.

BARBOSA, Muryatan S. Guerreiro Ramos e o personalismo negro. 2004. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

CARNEIRO, Sueli. A construção do outro como não-ser como fundamento do ser. 2005. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

CARNEIRO, Sueli. Prefácio. In: RATTS, Alex (org.). Eu sou Atlântica: sobre a Trajetória de Vida de Beatriz Nascimento. São Paulo: Imprensa Oficial/Ed. Kuanza, 2007. p. 11-13.

CUNHA, João Alípio; SILVA, Rafael Moreira Serra. Da “casa da Marlene” para universidade: uma análise sobre as pedagogias negras. Aceno: Revista de Antropologia do Centro-Oeste, Cuiabá, v. 8, n. 17, p. 31-52, maio/ago. 2021. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/aceno/article/view/12508. Acesso em: 13 maio 2022.

DOMINGUES, Petrônio. Protagonismo negro em São Paulo: historiografia e história. São Paulo: Edições SESC, 2019.

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes: o legado da “raça branca”. 5. ed. São Paulo: Globo, 2008 [1964], v. 1. FOLHA de São Paulo. Debate: um racismo cordial? São Paulo, 1977, p. 6. Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Folhetos (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP).

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

GOMES, Nilma Lino. A força educativa e emancipatória do movimento negro em tempos de fragilidade democrática. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 21, n. 62, p. 360-371, jul./set. 2020. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias/article/view/49715/35073. Acesso em: 11 maio 2022.

GRUPO de Trabalho André Rebouças. Apresentação. In: SEMANA DE ESTUDOS SOBRE O NEGRO NA FORMAÇÃO SOCIAL BRASILEIRA, II, 1976, Niterói. Anais [...]. Niterói: Editora da UFF, 1976, p. 1-2. Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Produção Intelectual (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP).

GUIMARÃES, Antonio S. Alfredo. Classes, raças e democracia. São Paulo: Ed. 34, 2002.

KILOMBA, Grada. Memórias da Plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

LADNER, Joyce (org.). The Death of White Sociology. New York: Vintage, 1973.

MILLARCH, Arami. “Orí”, um filme-tese sobre a cultura negra. Jornal O Estado do Paraná, Curitiba, 9 abr. 1989. Almanaque, p. 3. Disponível em: https://www.millarch.org/artigo/ori-um-filme-tese-sobre-cultura-negra. Acesso em: 25 jan. 2022.

MORRIS, Aldon. The Scholar Denied: W. E. B. DuBois and the Birth of Modern Sociology. Oakland: University of California Press, 2015.

NASCIMENTO, Beatriz. Carta a Eduardo de Oliveira e Oliveira. Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Correspondências (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP). 3 mar. 1978.

NASCIMENTO, Beatriz. Beatriz Nascimento, Quilombola e Intelectual: possibilidades nos dias da destruição. São Paulo: Editora Filhos da África, 2018.

NASCIMENTO, Beatriz. Uma história feita por mãos negras: relações raciais, quilombos e movimentos. Organização de Alex Ratts. Rio de Janeiro: Zahar, 2021.

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. Ideologia Racial: estudo de relações raciais (projeto de pesquisa para FAPESP). Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Produção Intelectual (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP). 1971.

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. O Poder Branco (esboço de capítulo). Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Produção Intelectual, Fol. 63, ex. 2 (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP). [entre 1975 e 1978].

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. Relatório Trimestral – de 06/08 a 06/11 de 1976 – para a Fundação Ford do Brasil. Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Produção Intelectual (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP). 30 nov. 1976.

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. De uma ciência Para e não tanto sobre o negro (conferência). Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Produção Intelectual (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP). 1977a.

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. Etnia e Compromisso Intelectual. In: GTAR. Caderno de Estudos da Semana de Estudos Sobre o Negro na Formação Social Brasileira, III, Niterói. Anais [...]. Niterói: Editora da UFF, 1977b, p. 22-27. Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Produção Intelectual (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP). 1977b.

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. Relatório Trimestral – Interino – 07/11/1976 a 06/02/1977 – para a Fundação Ford do Brasil. Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Produção Intelectual (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP). Fev. 1977c.

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. Abolição 90 Anos: Noves Fora? Formulário para a reprodução de resumo. In: Reunião Anual da SBPC, 30ª, 1978a, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: Editora SBPC, p. 25. Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Documentos Pessoais (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP). 1978a.

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. Brasil, Abolição 90 Anos: Noves Fora? (conferência apresentada na 30ª Reunião Anual da SBPC, em São Paulo). Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Produção Intelectual (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP). 1978b.

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. Sumário da Tese (à mão). Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Produção Intelectual (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP). [1978?c].

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. História e Consciência de Raça (esboço de capítulo). Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Produção Intelectual (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP). [1978?d].

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. Currículo Vitae. Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Documentos Pessoais (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP). [1979?].

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. História e Consciência de Raça (plano da tese em Sociologia na USP). Coleção “Eduardo de Oliveira e Oliveira”, Série Produção Intelectual (Unidade Especial de Informação e Memória, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP). [1978 ou 1979].

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. Uma Quinzena do Negro. In: ARAÚJO, Emanoel (Curador). Para nunca esquecer: negras memórias, memórias de negros. Brasília: MINC/Fundação Cultural Palmares, 2001 [1977]. p. 287.

PENNA, Willian Pereira. Escrevivências das Memórias de Neusa Santos Souza: Apagamentos e Lembranças Negras nas Práticas Psis. 2019. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019.

PEREIRA, Amilcar. “O mundo negro”: relações raciais e a constituição do movimento negro contemporâneo no Brasil. Rio de Janeiro: Pallas, 2013.

PINN, Maria. Tem-se que se tornar visível, porque o rosto de um é o reflexo do outro, o corpo de um é o reflexo do outro: Maria Beatriz Nascimento e a reescrita da história do Brasil. 2021. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-graduação em História, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2021.

PINN, Maria. Beatriz Nascimento e a invisibilidade negra na historiografia brasileira: mecanismos de anulação e silenciamento das práticas acadêmicas e intelectuais. Revista Aedos, Porto Alegre, v. 11, n. 25, p. 140-156, dez. 2019. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/aedos/article/view/96888. Acesso em: 10 maio 2022.

PINN, Maria; REIS, João. Por uma História Negra: A potência teórica do pensamento de Maria Beatriz Nascimento para a (re)escrita da História. Oficina do Historiador, Porto Alegre, v. 14, n. 1, p. 1-12, 2021. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/index.php/oficinadohistoriador/article/view/41033/27062. Acesso em: 26 abr. 2022.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo (org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais: perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005. p. 227-278.

RATTS, Alex. Eu sou Atlântica: sobre a Trajetória de Vida de Beatriz Nascimento. São Paulo: Imprensa Oficial/Kuanza, 2007.

REIS, João Carlos. Historiografia e Quilombo na obra de Beatriz Nascimento. 2019. Monografia (Licenciatura em História) - Graduação em História, Universidade Federal da Integração Latino-Americana, Foz do Iguaçu, 2019.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento/Justificando, 2017.

RIOS, Flávia; LIMA, Márcia. Apresentação. In: GONZALEZ, Lélia. Por um feminismo afro-latino-americano. Organizado por Flávia Rios e Márcia Lima. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 2020. p. 6-18.

RIOS, Flávia. Elite política negra no Brasil: relação entre movimento social, partidos políticos e Estado. 2015. Tese (Doutorado em Sociologia) – Programa de Pós-graduação em Sociologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

ROSSI, Gustavo. O intelectual feiticeiro: Edison Carneiro e o campo de estudos das relações raciais no Brasil. Campinas: Editora da Unicamp, 2015.

SILVA, Denise Ferreira da. A dívida impagável. São Paulo: Casa do Povo, 2019.

SILVA, Sandra Martins da. O GTAR (Grupo de Trabalhos André Rebouças) na Universidade Federal Fluminense: memória social, intelectuais negros e a universidade pública (1975/1995). 2018. Dissertação (Mestrado em História Comparada) – Programa de PósGraduação em História Comparada, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

SOUZA, Neusa Santos. Tornar-se negro: as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

TRAPP, Rafael P. O Elefante Negro: Eduardo de Oliveira e Oliveira, raça e pensamento social no Brasil. São Paulo: Alameda, 2020.

VINHAS, Wagner. Palavras sobre uma historiadora transatlântica: estudo da trajetória intelectual de Maria Beatriz Nascimento. Tese (Doutorado em Estudos Étnicos e Africanos) – Programa de Pós-graduação em Estudos Étnicos e Africanos, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2015.

XAVIER, Giovana. Como me tornei #dotorainspiração e o brinco de Ewá. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 1, p. 1-10, 2021b. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ref/a/YVrXmQGCtyQck534D7MNRCp/. Acesso em: 13 fev. 2022.

XAVIER, Giovana. “Como me tornei historiadora e a vida entre livros e sala de aula”. Nexo Jornal, São Paulo, 16/10/2017. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/profissoes/2017/10/16/Como-me-tornei-historiadora.-E-a-vida-entre-livros-e-salas-de-aula. Acesso em: 19 jun. 2022.

XAVIER, Giovana. Intelectuais negras – protagonismos em (nos) projetos acadêmicos. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), Goiânia, v. 13, n. 35, p. 29-55, fev. 2021a. Disponível em: https://www.abpnrevista.org.br/index.php/site/article/view/1186. Acesso em: 19 mar. 2022.

Downloads

Publicado

2023-06-28

Como Citar

PETRY TRAPP, R. Raça, corporeidade e subjetividade em Beatriz Nascimento e Eduardo de Oliveira e Oliveira. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 16, n. 41, p. 1–22, 2023. DOI: 10.15848/hh.v16i41.1992. Disponível em: https://www.historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/1992. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Corpos, tempos, lugares da historiografia