Crise da modernidade em perspectiva histórica

da experiência empobrecida à expectativa decrescente do novo tempo

Palavras-chave: Crise, Experiência, Expectativa

Resumo

Neste artigo, analisa-se em perspectiva crítica a evolução da crise que acompanha a modernidade desde sua consolidação, problema estrutural, resultante de lógica irracional incapaz de superar contradições internas; para tanto, articulam-se as contribuições de três pensadores que, em seu tempo, enfrentaram essa questão sob prismas convergentes. Investigando-se aspectos históricos e filosóficos da crise moderna que se faz presente, parte-se da interpretação de W. Benjamin sobre o definhamento da experiência nos tempos modernos, quando a informação (saber empobrecido) substitui a narrativa (outrora instrumento de reflexão); ainda neste início, trata-se de como essa ideia foi depois desenvolvida por R. Koselleck, que a relaciona à ideologia burguesa do progresso técnico, com sua inflada expectativa. Em seguida, volta-se ao contemporâneo, expondo a atualização que P. Arantes, em diálogo com ambos, oferece deste fenômeno na época pós-globalização: período da crise do novo tempo, em que as expectativas quanto a um efetivo progresso social decrescem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yuri Martins Fontes, Universidade de São Paulo

Professor e pesquisador acadêmico (membro do LEPHE/USP e do CEHAL/PUC-SP); escritor e tradutor.

Doutor em História Econômica (USP/CNRS-França), com pós doutorados em Ética e Filosofia Política (USP) e em História, Cultura e Trabalho (PUC-SP).

Coordenador do Núcleo de Pesquisas sobre a Práxis (FFLCH-USP); analista de política internacional (colunista da Revista Fórum e da Agencia Latino-Americana de Información).

Referências

AMADEO, Javier. Mapeando o marxismo. In: BORÓN; AMADEO; GONZÁLEZ (orgs). A teoria marxista hoje. S. Paulo/B. Aires: Clacso; Expressão Popular, 2007.

ARANTES, Paulo. Extinção. São Paulo: Boitempo, 2007.

ARANTES, Paulo. O novo tempo do mundo. São Paulo: Boitempo, 2014.

ARANTES, Paulo. Zero à esquerda. São Paulo: Conrad, 2004.

ARANTES, Paulo; MARTINS FONTES, Yuri. A teoria crítica de Paulo Arantes (entrevista). Revista Mouro, n.11, jan. 2017.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas (vol. I). São Paulo: Brasiliense, 1994.

FERNANDES, Florestan. Significado atual de J. C. Mariátegui. Coleção Princípios, num. 35, 1994-1995.

HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

KOSELLECK, Reinhart. Crítica e crise: um estudo acerca da patogênese do mundo burguês. Rio de Janeiro: Eduerj / Contraponto, 1999 [1954].

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado. Rio de Janeiro: Contraponto; PUC-RJ, 2006 [1979].

KOSELLECK, Reinhart. Historia, historia. Madri: Minima Trotta, 2004.

MARTINS FONTES, Yuri. Marx na América: a práxis de Caio Prado e Mariátegui. São Paulo: Alameda; Fapesp, 2017.

MÉSZÁROS, István. Más allá del capital. La Paz: Vicepresidencia de Bolivia, 2010 [1994].

NAÇÕES UNIDAS. Adopting a territorial approach to food security and nutrition policy. Paris: FAO-ONU, 2016.

NAÇÕES UNIDAS. Número de famintos ultrapassa 1 bilhão, diz FAO. ONU News, 19/06/2009. Disponível em: encurtador.com.br/fsY29. Acesso em: 15 jun. 2017.

POSTONE, Moishe. Tiempo, trabajo y dominación social. Madri: Marcial Pons, 2006 [1993].

Publicado
2019-12-22
Como Citar
MARTINS FONTES, Y. Crise da modernidade em perspectiva histórica: da experiência empobrecida à expectativa decrescente do novo tempo. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, v. 12, n. 31, p. 244-267, 22 dez. 2019.
Seção
Artigo