O trabalho que se faz: a atividade diretorial nos Annales d’Histoire Économique et Sociale (1929-1938)

Autores

  • Mariana Ladeira Osés

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v0i24.1142

Palavras-chave:

Annales, Cartas, Historiografia francesa

Resumo

Este artigo toma por objeto os expedientes de trabalho adotados por Marc Bloch e Lucien Febvre na administração da Revista dos Annales entre 1929 e 1938. Interpretadas a partir das cartas trocadas entre ambos, as formas de trabalho diretorial são mobilizadas como possíveis meios de apreensão de constrições às quais a revista e seus diretores estavam submetidos, bem como das tomadas de posição de Bloch e Febvre diante dessas constrições. Objetiva-se, dessa forma, demonstrar o potencial das fontes e dos problemas abordados para trazer à luz dimensões menos visíveis, mas não secundárias, do funcionamento da revista em seus primeiros anos e das condições objetivas inscritas nesse funcionamento. Avança-se, nessa chave, a hipótese de que a instabilidade à qual os Annales estão submetidos no período é um elemento central para a compreensão de escolhas editoriais tomadas pelos diretores, que imprimem à revista um tipo de coesão particular, possivelmente relacionada à posterior elevação do periódico à condição de “mito disciplinar”

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-10-31

Como Citar

OSÉS, M. L. O trabalho que se faz: a atividade diretorial nos Annales d’Histoire Économique et Sociale (1929-1938). História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 10, n. 24, 2017. DOI: 10.15848/hh.v0i24.1142. Disponível em: https://www.historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/1142. Acesso em: 7 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigo