Thomas Hobbes como historiador: a Ciência civil na historiografia

Autores

  • Débora Vogt UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v0i24.1124

Palavras-chave:

História das idéias, Historia magistra vitae, Thomas Hobbes

Resumo

Este estudo procura compreender, em linhas gerais, o sentido da história para Thomas Hobbes. Embora ele seja principalmente um pensador preocupado com sua Ciência civil, ele também fez da história objeto de estudo e análise, chegando a escrever uma obra sobre a Revolução Inglesa. Partindo tanto do entendimento da história como mestra da vida como o sentido do passado para o filósofo, por meio da reflexão sobre seus contatos com a narrativa histórica, procura-se demonstrar o sentido que a historiografia teve para um autor que não se via como historiador, embora tenha feito dela veículo de atuação política. Procura-se demonstrar o sentido que a história como magistra vitae adquiriu em seu contexto e de que forma ela relaciona-se com a concepção de natureza humana que transparece no pensamento maior de Hobbes. Entre a história como ensino e como saída para o estado de natureza é conduzido esse trabalho

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Vogt, UFRGS

Formada em História, mestre e doutoranda pela UFRGS. Atualmente é analista técnico edcacional da Rede Sesi/SP.

Downloads

Publicado

2017-10-31

Como Citar

VOGT, D. Thomas Hobbes como historiador: a Ciência civil na historiografia. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 10, n. 24, 2017. DOI: 10.15848/hh.v0i24.1124. Disponível em: https://www.historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/1124. Acesso em: 7 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigo